de Carnaval

Máscaras de Carnaval

Máscaras de Carnaval

O uso de máscaras é muito comum desde os primeiros períodos da humanidade, estando presente em várias culturas, seja por motivos lúdicos, religiosos ou artísticos.

Em muitas festas tradicionais ela geralmente está presente deixar a brincadeira mais animada. O Carnaval é um bom exemplo disso, com bailes de máscaras, nos blocos e desfiles de rua.

Historiadores relatam que as primeiras máscaras utilizadas foram da Grécia Antiga, durante as festividades de Dionísio, o deus do vinho e da fertilidade.

Em outras culturas, as máscaras estão presentes em rituais religiosos. Isso acontece principalmente na África, Austrália, Nova Zelândia e entre os índios norte-americanos, que habitavam o noroeste dos EUA. No Brasil, os índios nativos, em suas cerimônias, usavam máscaras simbolizando animais, pássaros e insetos.

Elas aparecem também na história do teatro: no Japão, por exemplo, desde a antiguidade até hoje as máscaras são utilizadas no palco para marcar bem as características dos personagens que estão sendo representados. As máscaras podem ser feitas com diversos materiais, mas geralmente a opção é pelos naturais como madeira, fibras, palhas, barro, chifres, conchas, plumas, peles de animais, pedras, tecido ou espiga de milho, entre outros.

Máscaras no Carnaval

Sem dúvida as máscaras têm tudo a ver com o Carnaval! São indispensáveis nas belíssimas fantasias e também divertem os foliões através de seus diferentes significados.

Há diversos tipos de máscaras e aqui você pode conhecer alguns dos mais populares:

Máscaras de personalidades: aquelas que imitam cantores, políticos, atores e personalidades em geral.

Máscara ocular: cobre apenas a região dos olhos.

Máscara de meio rosto: cobre toda a parte superior do rosto, mas deixa a inferior a mostra, mesmo assim consegue esconder bem a identidade de quem usa.

Máscara de rosto inteiro: cobrem o rosto todo e com este modelo é que vários personagens ganham vida no carnaval. Esse modelo é inspirado nas peças que fazem sucesso nos carnavais de Veneza, desde a antiguidade.

Máscaras no Brasil: dos bailes de elite ao carnaval de rua

Historiadores relatam que o primeiro baile de máscaras do Brasil ocorreu no Teatro de São Januário, Rio de Janeiro, em 21 de fevereiro de 1846, relacionado às comemorações do carnaval.

Os primeiros bailes eram voltados para a elite, muito luxuosos, é claro! Deles participavam comerciantes, fazendeiros, ministros, deputados do Império e suas respectivas famílias. Tudo acontecia aos moldes das festas que ocorriam na França e na Itália.

Já década de 1850, as máscaras dos bailes foram deixando os salões e ocupando as ruas da capital carioca, com suas organizações carnavalescas mais populares, formando os blocos de carnaval. O bloco do Zé Pereira, foi o primeiro, iniciativa de um sapateiro português, desfilou pela cidade em 1852 com tambores, máscaras e personagens dos salões, que seguiam modelos europeus.

Seguindo a evolução de tudo isso vamos parar nas escolas de samba, tão famosas atualmente e que recebem turistas de vários países para sua apresentação. Vale a pena conhecer a história das escolas de samba!

Curiosidade

No Antigo Egito, o povo acreditava que a colocação de uma máscara na face dos mortos ajudava na passagem para a vida eterna.

Dicas para o Professor

Que tal organizar um baile de máscaras para seus alunos?!?!?! Aproveite a época de carnaval e deixe seus alunos caírem na folia. Em nosso site você encontrará muitos modelos de máscaras para confeccionar com seus alunos, vale a pena conferir na secção Atividades/Máscaras

Você também encontrará outras atividades relacionadas na secção “Para Colorir”. Aproveite tudo e bom Carnaval!