Alimentação Segura, Sem Toxinas

Alimentação seguraÉ muito importante ter cuidados com os alimentos que ingerimos, pois é justamente através deles que nosso organismo consegue energia para realizar todas as atividades do dia.

Mas, quais são os problemas que os alimentos podem ter??? É justamente isso que vamos ver agora!

O primeiro problema que é precisamos estar atentos é com a contaminação dos alimentos.

Eles podem ser contaminados de várias formas: através da poluição do solo, da má conservação e da contaminação por manuseio inadequado.

A contaminação por poluição do solo se dá quando são usados nas plantações agrotóxicos que ficam impregnados nos alimentos. Eles também podem ser contaminados por fezes de animais que se misturam com a água de irrigação, quando não há cuidados suficientes nessas plantações.

Outro problema sério é a forma de conservar os alimentos: a temperatura, a umidade, embalagens adequadas, tudo isso, quando não controlado de forma adequada, pode fazer com que os alimentos estraguem muito mais rapidamente. Por isso, nas empresas que produzem alimento é necessário um controle de qualidade rigoroso. Na hora de comprar é importante observar atentamente se as características dos alimentos estão preservadas e também verificar o prazo de validade, que é obrigatório estar na embalagem.

Finalmente, manusear adequadamente os alimentos é outro fator que evita a contaminação. Lavar as mãos sempre que for manuseá-los é de extrema importância, além de não deixar expostos para evitar que insetos possam pousar.

Principais agentes que podem contaminar os alimentos

Bactérias: Salmonella, Campylobacter, e Escherichia coli enterohemorrágica são os principais tipos de bactérias que contaminam alimentos. Elas podem causar doenças graves e algumas vezes fatais. Alguns exemplos: a Salmonella que contamina pessoas que comem ovos crus, aves e outros produtos de origem animal; a Campylobacter que está principalmente leite sem pasteurização adequada e carne de aves crua ou mal cozida; a Escherichia coli enterohemorrágica também associado ao leite não pasteurizado, carne mal cozida e frutas e vegetais frescos.

Vírus: infecções por norovírus que causam náuseas, vômitos, diarréia aquosa e dor abdominal; o vírus da hepatite A, contraída através de frutos do mar crus ou mal cozidos ou produtos contaminados.

Parasitas: alguns parasitas, como trematodes encontrados em  peixes, podem infectar pessoas através da alimentação ou contato direto com os animais. Outros parasitas, como Ascaris, Cryptosporidium, Entamoeba histolytica ou Giardia, entram na cadeia alimentar através da água ou do solo e podem também contaminar os alimentos.

Príons: agentes infecciosos formados por proteína, presente na carne bovina que causa a encefalopatia espongiforme bovina chamada popularmente de “doença da vaca louca”.
 

Alimentos e Globalização

A globalização mudou diversos procedimentos do mundo em geral e especialmente no que se refere à alimentação, esse é um fato marcante.

Atualmente a facilidade de viagens, seja a trabalho ou a passeio, faz com que as pessoas comam mais em locais públicos e com hábitos alimentares diferenciados. Também a facilidade de transporte dos alimentos faz com que haja maior diversidade, mas ao mesmo tempo pode dificultar o controle da qualidade, daí a importância da observação tanto dos locais onde comemos, como também da origem dos alimentos.

Nesse sentido podemos citar alguns escândalos que já chamaram a atenção da população mundial, como por exemplo, a crise causada pela encefalopatia espongiforme bovina - “doença da vaca louca”, que teve origem na Europa na década de 90 e também a adulteração do leite em 2008 que começou na China, mas que acabou afetando diversos países.
 

Cinco Chaves de Segurança em Alimentos

O Organização Mundial de Saúde – OMS aproveitou o Dia Mundial da Saúde, comemorado em 7 de abril, para lançar o tema “Inocuidade dos Alimentos” - ano de 2015.

Nesta oportunidade lançou as cinco chaves de segurança para alimentação para orientar os cuidados com a alimentação e com os alimentos. São elas:
 

1ª Chave - Mantenha a limpeza:

  • Lave as mãos antes de iniciar a preparação dos alimentos e, frequentemente, durante todo o processo;

 - Lave as mãos depois de ir ao banheiro;

  • Higienize todos os equipamentos, superfícies e utensílios utilizados na preparação dos alimentos;

  • Proteja as áreas de preparação e os alimentos de insetos, pragas e outros animais.
     

2ª Chave - Separe alimentos crus de alimentos dos cozidos

  • Separe carne e peixe crus de outros alimentos;

  • Utilize diferentes equipamentos e utensílios, como facas ou tábuas de corte, para alimentos crus e alimentos cozidos;

  • Guarde os alimentos em embalagens ou recipientes fechados, para que não haja contato entre alimentos crus e alimentos cozidos.
     

3ª Chave - Cozinhe bem os alimentos

  • Deve cozinhar bem os alimentos, especialmente carne, ovos e peixe;

  • As sopas e guisados devem ser cozinhados a temperaturas acima dos 70 ºC. Use um termômetro para confirmação. No caso das carnes, assegure-se que os seus exsudados são claros e não avermelhados;

  • Se reaquecer alimentos já cozidos, assegure-se que o processo é o adequado.
     

4ª Chave - Mantenha os alimentos a temperaturas seguras

-  Não deixe alimentos cozinhados, mais de 2 horas, à temperatura ambiente;

  • Refrigere rapidamente os alimentos cozinhados e/ou perecíveis (preferencialmente abaixo de 5 ºC);

  • Mantenha os alimentos cozinhados quentes (acima de 60 ºC) até ao momento de serem servidos;

  • Não armazene alimentos durante muito tempo, mesmo que seja no congelador;

  • Não descongele os alimentos à temperatura ambiente.
     

5ª Chave - Use água e matérias-primas seguras

  • Use água potável ou trate-a para que se torne segura;

  • Selecione alimentos variados e frescos;

  • Escolha alimentos processados de forma segura, como o leite pasteurizado;

  • Lave frutas e vegetais, especialmente se forem comidos crus;

  • Não use alimentos com o prazo de validade expirado.
     

Curiosidade

Os mofos, também chamados de bolores, são espécies de fungos que se desenvolvem em alimentos. Alguns tipos de mofos prejudicam a saúde humana, como é o caso do bolor de pão, que estragam e apodrecem os alimentos. Ao comer um alimento (pão, fruta, legume, etc) é sempre importante verificar se o mesmo não se encontra embolorado. Em caso afirmativo, o certo é jogar o alimento no lixo.

Dicas de Atividades

Selecionar reportagens que falem sobre segurança alimentar pode ser uma forma interessante para os alunos aprofundarem nesse tema.

Depois da leitura você poderá organizar um debate na sala de aula, mostrando a importância de discutir o tema. Seguem algumas sugestões:

  • Agroecologia e Produção Orgânica

  • Brics vai buscar cooperação em segurança alimentar e nutricional

Levar os alunos para uma visita técnica ao supermercado pode ser uma aula interessante sobre conservação, observação das características dos alimentos, entre outros temas.