Escola de Samba

Escolas de Samba

Quando se fala em Carnaval a primeira coisa que vem à mente são as escolas de samba desfilando com muita cor, brilho e alegria.

Tudo começou no início do século 20, quando os ranchos, desfiles de máscaras e fantasias em carros enfeitados pela avenida, já estavam mais que estabelecidos no Rio de Janeiro pelas sociedades carnavalescas - grupos organizados que usavam fantasias reproduzindo as roupas da corte.

Esses desfiles, ao som de ópera, eram muito luxuosos. Só participavam deles os que podiam comprar fantasias para o evento, sempre muito caras.

Por isso, os pobres brincavam em outros bailes, semelhantes aos da nobreza, mas com muito menos luxo. As fantasias eram imitações mais baratas, e a música, uma grande e empolgante batucada. Um dos principais lugares em que aconteciam essas festas era a Praça Onze, no bairro do Estácio, bem perto do local onde hoje fica o Sambódromo do Rio de Janeiro.

Quem era de fora achava o Carnaval dos pobres feio e atrasado, e dizia que só participavam dele bandidos e vagabundos. Foi então que os carnavalescos do Estácio resolveram se organizar, à semelhança da forma como faziam os ricos. Em 1929, fundaram a Deixa Falar, a primeira escola de samba de que se tem notícia. A partir daí, eles passaram a escolher todo ano um tema que definiria as fantasias e a música, como acontece com os sambas-enredo que temos hoje.

As primeiras escolas de smaba eram bem simples, com poucas alegorias, mas com o passar do tempo foram incrementando cada vez mais a participação até que hoje se transformou nesse espetáculo de luzes e cores.

Mas não pense que é simplesmente ensaiar e se apresentar no sambódromo. Todas as escolas que participam dos desfiles tem que ter estatutos sociais, que são as regras de funcionamento que precisa ser registrada em cartório, precisa ter uma sede administrativa, para cuidar dos aspectos legais da escola, uma quadra para os ensaios, licença de funcionamento na polícia, e muitas outras exigências.

Também trabalham durante o ano inteiro, planejando o próximo carnaval: escolhem o tema, os trajes, as alegorias, o samba enredo, nossa, quanto trabalho! Tudo isso para uma noite de glória.

Cada escola de samba tem aproximadamente cinco mil participantes que ensaiam nas quadras periodicamente. Entre eles estão os sambistas, passistas, mestre-sala, porta-bandeira, destaques, alas e também os participantes da orquestra e da bateria. Na hora da apresentação tudo tem que estar em perfeita ordem e todos sincronizados para a escola não perder ponto e ser a vencedora.

Isso mesmo… As escolas passam pela avaliação de um júri , formado por especialistas em samba e em escolas de samba, é claro!

Durante a apresentação das escolas, os juízes observam e julgam os seguintes aspectos:

Entrosamento dos componentes da bateria;

Letra e a clareza de apresentação do samba enredo;

Harmonia dos sambistas e intérpretes;

Apresentação das alas e destaques;

Alegorias e adereços, que devem ser criativos e bem feitos;

Fantasias, que devem estar adequadas ao enredo;

Simpatia, interação e saudação ao público da comissão de frente;

Mestre-sala e porta-bandeira, que devem estar em perfeito entrosamento e seguindo o ritmo do samba.

Cada um desses itens gera uma pontuação para a escola e no final do carnaval todas as se reúnem, os jurados falam as notas dadas para cada item e ganha a que tiver maior pontuação.

No sábado seguinte há o desfile das campeãs , ou seja, as escolas de samba que conseguiram os primeiros lugares desfilam novamente.

Apresentação das Escolas de Samba

Todas elas tem uma sequência de apresentação de seus componentes já pré-estabelecida , da seguinte forma:

  1. No início a comissão de frente cria uma certa expectativa no público por sua coreografia diferenciada e também em relação ao enredo da escola. É formada por, no máximo, quinze pessoas, podendo ser homens, mulheres e crianças;

  2. Entra em cena o carro abre-alas e a partir daí tudo começa. Nele que a escola expõe seu símbolo destaque;

  3. Em seguida vem as alas, ou seja, grupos com a mesma fantasia que ficam entre as alegorias. Nelas está o sambista que, até cruzar o fim da avenida, fica à vontade para fazer sua apresentação;

  4. As alegorias e adereços são partes importantes no desfile. Os carros alegóricos contam a maior parte do enredo. Nos chamados “queijos”, que são locais mais evidentes ao público, ficam os destaques principais da escola. Os destaques desfilam isoladamente no chão ou nos carros alegóricos. Usam fantasias representando personagens do enredo;

  5. A ala das crianças é opcional e é formada, em média, por duzentas delas;

  6. Na sequencia vem o mestre-sala e a porta-bandeira levam o estandarte da escola usando fantasias luxuosas que podem pesar até quarenta quilos;

  7. A bateria, com cerca de 350 integrantes, é alinhada por instrumentos guiados por um mestre. Os instrumentos usados são: tamborim, pandeiro, chocalho, reco-reco, tarol, agogô, cuíca, repinique, caixa de guerra e surdos de primeira, segunda e terceira marcação. Algumas escolas têm rainhas, princesas e madrinhas de bateria, que são mulheres bonitas escolhidas no meio artístico ou por concursos na comunidade;

  8. Nessa hora entra em cena a ala das baianas, composta por senhoras, sendo algumas bem idosas que, apaixonadas pela escola, sustentam o peso de, aproximadamente, quinze quilos em suas fantasias;

  9. Já chegando ao final vem a ala dos compositores, formada pelos poetas da escola que compõem os sambas até que um seja escolhido como oficial;

  10. Por último, a velha guarda encerra o espetáculo e é composta por integrantes que participaram da fundação da escola.

Importância do Samba Enredo

O samba enredo é o samba que apresenta o tema ou enredo escolhido pela escola. Ele é cantado pelos integrantes e por intérpretes com microfones ao longo do desfile.

A escolha do samba-enredo é feita através de um concurso de composições de parcerias com pelo menos um associado da escola. Todos os participantes do concurso, mesmo aqueles que não tiveram seus enredos escolhidos, são convidados a desfilar no dia em uma ala especial de compositores.

Os temas escolhidos pelas escolas de samba são os mais variados possíveis: pode ser uma homenagem a algum estado, região ou país nos desfiles, mas também vale homenagear pessoas famosas, aspectos do folclore nacional, etc.

Curiosidade

A unidade entre o grupo é um dos principais quesitos analisados nos desfiles. As fantasias de cada setor, por exemplo, devem estar em completa harmonia da cabeça aos pés. Completa mesmo: no regulamento do carnaval carioca, a lista de adereços que devem ter uniformidade inclui até as meias dos participantes.