História das Bonecas

História das Bonecas
As bonecas representam um dos brinquedos mais antigos da história da humanidade, mas o interessante é que as primeiras bonecas não foram feitas para ser um brinquedo, mas sim como uma forma de representação religiosa e só eram usadas por sacerdotes em rituais nas civilizações antigas.

Símbolos diferentes em cada civilização

Desde a pré-história os cientistas já descobriram bonecas esculpidas em pedra. Os estudos revelaram que essas bonecas eram utilizadas em rituais para preparação das mulheres para a gravidez, por isso foram chamadas de Vênus, deusa grega que simboliza a fertilidade.

Os egípcios faziam bonecas para serem colocadas nos túmulos dos faraós. Elas eram chamadas de ushtbs, eram feitas de terracota - tipo de argila moldada e cozida no forno e mediam entre 10 e 23 centímetros.

Já na Grécia Antiga , as bonecas eram oferecidas às deusas pelas moças que iam se casar, pois acreditavam que isso as ajudaria a ter filhos.

Para os Romanos as bonecas eram dadas de presente na festa de homenagem ao deus Saturno, no mês de dezembro e em maio, na festa do deus Lares, protetores das casas. Eram erguidas em altares, como se fossem imagens.

Ao longo da história , outros tipos de bonecas foram encontradas em locais diferentes e em situações que não deixaram clara de que forma eram utilizadas, como por exemplo, o sarcófago da imperatriz Maria, esposa do imperador romano Honórius, morta no século III , onde cientistas encontraram uma boneca de 40 centímetros aproximadamente. Era articulada e tinha um enxoval e joias feitas sob medida, como é comum nas bonecas da atualidade. Os cientistas não conseguiram chegar à conclusão se era um brinquedo ou se tinha também algum sentido religioso.

Bem mais a frente, no início do Século XIX , as bonecas passam a ter um valor social considerável porque representavam fielmente figuras da corte e da sociedade da época. Eram feitas de madeira, com rosto de porcelana e vestidas com todo o luxo da época. Essas bonecas eram muito valorizadas pelos adultos, fazendo parte de suas relíquias.

Bonecas pelo mundo afora

Com a evolução das culturas, as bonecas ganharam espaços diferentes em cada país, e, em algumas culturas, até hoje não representam somente meros brinquedos, veja só…

No Japão , as bonecas típicas são chamadas de Ningyoo. No dia 03 de março é comemorado o Dia das Meninas neste país e a tradição é deixá-las expostas na sala de visita, em um altar de cinco andares onde as figuras do casal imperial estão representadas no topo do altar. As bonecas de Quioto também são também tradicionais deste país. São confeccionadas com luxo e esmero, consideradas verdadeiras peças de enxoval.

Direto para a África do Sul , o povo Mfengu , tem como tradição dar de presente aos jovens casais uma boneca que deve ser reservada a seu primeiro filho. Quando ele nasce ganhará outra até o nascimento do segundo filho.

No sul da França , especialmente em Tarascon, existe a Tarasca , que na verdade é um boneco com aparência de um ser monstruoso. Esse ritual tem relação com o Pentecostes, festa da Igreja cristã em memória da descida do Espírito Santo sobre os apóstolos, 50 dias depois da Páscoa.

As bonecas denominadas Mamuschka ou Matrioshka são típicas da Rússia e com certeza as mais representativas. Na verdade, são um conjunto de bonecas de tamanhos decrescentes, geralmente feitas em madeira de tília e muito coloridas, e que são guardadas umas dentro das outras e divertem muito as crianças!

No Vietnã existe o tradicional Teatro Aquático de Fantoches. É uma tradição que existe há séculos neste país, organizada com bonecos, que “atuam” sobre a água e com uma pequena orquestra.

A Alemanha , na região de Erzgebirge, a produção artesanal do boneco quebra-nozes (literatura infantil), é uma tradição principalmente na época do Natal, representando uma importante manifestação cultural.

Materiais diversificados

Praticamente é possível fazer uma boneca utilizando qualquer tipo de material, basta usar a criatividade. Seguem algumas sugestões:

Boneca de pano: são feitas geralmente de retalhos, são leves e flexíveis, facilitando a brincadeira. Muitas são pintadas à mão e com os cabelos feitos com fios de lã. A mais popular no Brasil é a Emília, do Sítio do Pica-pau amarelo.

Boneca de plástico duro: feitas de plástico duro pintado com o tom da pele e tendem a ter traços nítidos, mais definidos. O auge da popularidade dessas bonecas foi entre 1940 e 1950.

Bonecas de metal: podem ser inteiramente de metal, como prata, estanho e bronze, ou ter somente a cabeça de metal. Foram produzidas inicialmente nos Estados Unidos e na Alemanha na década de 1800.

 

Boneca de porcelana: as bonecas de porcelana são mais finas. São feitas pela queima de argila pura. São bonecas especiais que servem mais para enfeite, por sua delicadeza e por ser fácil de ser quebradas.

Boneca de vinil: é um plástico macio e o material mais utilizado atualmente para produção de bonecas.

Boneca de madeira: a maioria representam peças de arte popular.

Boneca de papel : figuras de papel que são recortadas, com roupas e acessórios cortados separadamente. Nessa categoria estão também as de papel machê, mistura de papel rasgado ou esmigalhado, cola e água ganhando assim dureza e resistência.

Bonecas de biscuit: feitas de porcelana branca e fosca, duas vezes cozidas, e que na cor e no aspecto imitam o mármore branco. São bastante comuns em arranjos natalinos.

Boneca de composição: são feitas de uma mistura de vários componentes, como serragem, papel, cola e gesso.

Outros tipos de bonecas e bonecos

A partir da ideia original das bonecas, vários outros tipos sugiram, assim, é impossível esquecer da singularidade dos fantoches e marionetes , bonecos articulados, coordenados por fios que fazem a alegria da garotada.

Também existe o joão-teimoso , também chamado de joão-bobo ou bambalalão , boneco inflável, que ao ser empurrado “teima” em continuar em pé.

Outro exemplo é o Jack-in-the-box , traduzindo: Jack na caixa , boneco com feições de palhaço, que surge de surpresa ao ser levantada a tampa da caixa que o contêm.

Também os animais têm seus equivalentes como bonecos, os chamados de bichos de pelúcia , muito fofinhos por sinal!

Dica para os pais

Muito além de ser um simples brinquedo, as brincadeiras com bonecos e bonecas ajudam a criança a ajustar aspectos emocionais e compreender conflitos do cotidiano. Esse processo é chamado de brincadeira simbólica.

É muito fácil perceber essas situações nas crianças quando observamos as brincadeiras de casinha, escolhinha, ou outras simulações do cotidiano que representam através das bonecas, tais como: uma bronca que levaram dos pais, imitam a mãe cozinhando ou fazendo compras e também a postura da professora na sala de aula.

Com essas brincadeiras, aos poucos as crianças vão se estruturando emocionalmente e entendendo como a vida funciona, por isso é muito importante que os pais estimulem as crianças nessa fase a brincar livremente, soltando suas fantasias.

Curiosidade

 

No fim do século XIX, Thomas Edison, o mesmo que inventou a lâmpada, criou a primeira boneca falante que se tem notícia. O mecanismo era o mesmo do fonógrafo, e não teve sucesso porque não cabia nas bonecas da época que eram pequenas e frágeis. Tempos depois, o mesmo mecanismo foi aproveitado por vários fabricantes para criar bonecas que recitavam orações ou cantavam.