Mulheres da História

Mulheres da Historia

Existem muitas mulheres que marcaram a história por seus ideais libertários e lutas que mudaram o rumo dos acontecimentos e por isso têm que ser lembradas. Falar sobre todas elasresultaria em uma lista imensa que só certifica a importante participação feminina ao longo da história, então, selecionamos alguns nomes para fazer uma breve descrição de sua participação em sua época.

Figura marcante na história da monarquia inglesa, a rainha Elisabeth I governou no período de 1533 até sua morte, em 1603. Tornou-se rainha aos vinte e cinco anos, com formação sólida,sendo considerada a mulher mais culta de sua geração. Desde o início se preocupou com a evolução do sistema educacional, incentivando a produção intelectual nas universidades. A produção artística também ganhou espaço, principalmente na dramaturgia, apresentando nomes conhecidos até hoje, como William Shakespeare.Também evoluíram a navegação e os pensamentos filosóficos.

A Rainha de Sabá , segundo conta a história, era extremamente sábia e generosa com seu povo. Não há relatos claros sobre sua real história, mas alguns achados apontam que viveu no Século XI a.C e que tornou-se princesa aos quinze anos. Dedicou-se aos estudos, principalmente à Filosofia e o ponto marcante de sua história foi justamente o fato de partir à procura de outro reino, não para conquistar terras ou poder, mas sim para buscar sabedoria. Para isso, viajou cerca de 3.000 km e encontrar o Rei Salomão, considerado, também,um rei generoso e sábio. Pouco se sabe a respeito da rainha e de sua história depois dessa viagem.

Em uma época em que o natural era a mulher cuidar da casa e obedecer ao marido, Anita Garibaldi ousou viver de forma diferente, seguindo seus ideais de liberdade. Ela participou de momentos políticos importantes no Brasil, no Uruguai e na Itália. Em sua caminhada, conheceu Giuseppe Garibaldi, também revolucionário, com quem se casou.

Heroína francesa da Guerra dos Cem Anos, Joana D´Arc também foi revolucionária em sua época (1431). Muito religiosa, ela dizia ter que seguir orientações de seus santos devotos e expulsar os ingleses da França para, assim, coroar o legítimo rei, Carlos VII. Ganhou a confiança do rei, tornando-se “chefe de guerra”. Conseguiu seu intento masem uma batalha é presa e entregue aos ingleses. Foi julgada pela inquisiçãoe condenada a ser queimada na fogueira. Assim morreu, bem jovem, aos 19 anos. Quinhentos anos após sua morte é considerada santa pela igreja católica.

Madre Tereza de Calcutá nasceu na antiga Iugoslávia mas adquiriu cidadania indiana após trabalhos voltados para a caridade, desenvolvidos naÍndia. Sempre esteve determinada a seguir a vocação religiosa e direcionou sua vida para cuidar dos mais necessitados. Fundou casas religiosas por toda a Índia e também no exterior. Pelos serviços prestados à humanidade ganhou o Prêmio Nobel da Paz em 1979.

Princesa espanhola, mas que se tornou rainha de Portugal, Carlota Joaquina casou-se com o príncipe de Portugal, Dom João, que mais tarde se tornaria rei de Portugal - Dom João VI. Mudaram-separa o Brasil, transferindo o comando do reino para cá em uma época conturbada, quando Napoleão invadiu Portugal. Mulher temperamental, defensora do absolutismo, sua primeira tentativafoi dominar o marido e assumir o controle do reino. Seu intento não deu certo, mas ela não desistiu de sua participação na política, tanto que, ao retornar a Portugal e com a morte do marido, conseguiu levar seu filho D. Miguel ao trono.

Nascida na cidade de Macedônia de Alexandria, Cleópatra foi uma das mulheres mais importantes das civilizações antigas, tornando-se rainha do Egito. Apesar de gostar do luxo e da riqueza, estando sempre coberta de joias, era uma mulher culta, hábil debatedora de ideias e dominava várias línguas como aramaico, persa, somali, etíope, egípcio e árabe. Seu principal objetivo era dar fim às dominações estrangeiras que tomavam seu reino.

Diana Spencer ou Lady  Di , foi a mulher que, ao se casar com o Príncipe Charles, mudou os padrões da realeza na Inglaterra. Com seu estilo simples, tornou-se conhecida por seu trabalho de caridade e, principalmente, pelas campanhas contra minas terrestres e no combate à AIDS. Sua vida foi bastante conturbada, culminando com a separação e, finalmente, com a morte prematura em um trágico acidente de carro. Mesmo depois de sua morte, sempre é lembrada como a “princesa do povo”.

Filha de D. Pedro II, a Princesa Isabel foi a última princesa do império brasileiro. Atuou como princesa regente por três ocasiões em que o pai se ausentou do país. Desde cedo se preocupou com a educação em nosso país mas seu maior feito foi a assinatura da Lei Áurea, que proibia a escravatura no Brasil.

Para fechar essa galeria de mulheres famosas, não podemos esquecer de Carmen Miranda , cantora e atriz luso-brasileira, que levou um pouco de nosso país para o mundo. Desde criança demonstrou talento para a músicamas foi aos 20 anos que sua carreira, realmente,teve início, começando a cantar em clubes e teatros. Gravou músicas de vários compositores e fez sucesso nas rádios. Participou, também, de vários filmes, inclusive em Hollywood. No filme “Banana da terra” aparece pela primeira vez caracterizada de baiana, marcando sua imagem na mídia.

Curiosidade

Um dos perfumes preferidos da princesa Diana era o Isis, de Jan Moran. A fragrância, criada especialmente para ela, foi desenvolvida na Inglaterra pelo perfumista William Owen III. O perfume é uma combinação de rosas brancas e violetas, flores da região onde Diana nasceu. Muito chic, não???
(fonte: Guia dos Curiosos)