História das Olimpíadas

Olimpíadas

Deve ser realmente muito emocionante para quem se prepara por muitos anos e conquista uma vaga neste evento!

Não foram poucos os atletas que já vivenciaram essa emoção, pois a origem dos jogos olímpicos está na Grécia Antiga. Vale a pena conhecer essa história…

A origem e a história

Os jogos olímpicos tiveram sua origem na Grécia Antiga, aproximadamente 2.500 anos a.C., e o principal motivo desse evento era homenagear Zeus, que era o deus mais importante para os gregos. Assim, era uma festividade com uma mistura de religião e esporte, mas muito importante para aquela civilização. Acontecia na cidade de Olímpia e inicialmente foi chamado de Festival Olímpico, desde o início aconteciam a cada quatro anos, com poucas modalidades de esportes para competição: boxe, corrida, salto em comprimento, remo, corrida de mensageiros e trombeteiros e luta livre.

Em 392 d.C. tem início um longo período de interrupção dos jogos olímpicos, isso porque Teodósio I, imperador romano, converteu-se ao cristianismo, proibindo a realização de qualquer festividade pagã, incluindo os Jogos Olímpicos. Passaram-se dezesseis séculos sem este evento, até que, em 1894, com o objetivo de retomar o espírito esportivo da era grega e enaltecer os esportes, cria-se o COI - Comitê Olímpico Internacional, liderado por Pierre de Fredy – o Barão de Coubertin, com o apoio de representantes de 15 países, decidem por reiniciar as Olimpíadas, agora da era Moderna. A cidade escolhida para este recomeço não podia ser outra senão Atenas que nessa primeira edição contou com a participação de 285 atletas de 13 países.

União e paz entre os povos

Desde sua origem as olimpíadas marcam a união entre os povos, pois na Grécia Antiga as guerras paravam no período de realização dos jogos e era considerado um pecado muito grave alguém penetrar armado na Elida, região onde ocorriam os jogos.

Também, desde a retomada das olimpíadas da Era Moderna, há o predomínio da união entre as nações, servindo como exemplo de cooperação e união, que começa pelos atletas, mas repercute em cada país.

Símbolos Olímpicos

Existem símbolos que caracterizam os jogos olímpicos. Os mais importantes são:

Aros interligados: os cinco aros interligados na bandeira das olimpíadas, que têm as cores azul, amarelo, preto, verde e vermelho, representam os cinco continentes e a união entre eles. É interessante notar que o fundo da bandeira é branco, isto porque é a única cor que está presente na bandeira de cada um dos países filiados ao COI. Este símbolo existe desde 1913 e posteriormente, também passou a ser a marca do próprio Comitê Olímpico Internacional.

Tocha: apareceu pela primeira vez em Berlim (1936), é inspirada no fogo sagrado e purificador dos gregos antigos. Percorre diversos países, sendo conduzida pelos melhores esportistas de seus respectivos países. É mesmo emocionante ver a tocha chegar à pira olímpica no dia da abertura!

Lema olímpico: é simples e inspirado também nos gregos - Citius, Altius, Fortius, ou seja, o mais rápido, o mais alto, o mais forte - reflete a ideia de superação do atleta em busca da conquista da medalha olímpica.

Mascote: são personagens que acabam caracterizando cada edição dos jogos olímpicos. A primeira foi criada em 1968 para os jogos da França. O objetivo das mascotes é criar um vínculo afetivo com o público e são criadas levando em consideração as características da cultura ou à fauna do local onde estão sendo realizados os Jogos.

Hino: foi composto pelo compositor grego, Spirou Samara, com letra do músico, também grego, Cositis Palamas, em 1896. O COI adotou-o como “olímpico” em 1958. Desde então, o hino é executado quando a bandeira olímpica é hasteada em todas as cerimônias de abertura.

Juramento: os atletas tem que fazer um juramento antes das competições iniciarem. A leitura do juramento cabe a um atleta do país anfitrião e tem seguinte conteúdo: “Em nome de todos os competidores, eu prometo participar nestes Jogos Olímpicos, respeitando e cumprindo com as normas que o regem, no verdadeiro espírito esportivo, pela glória do esporte e em honra às nossas equipes”.

Medalha: todos correm atrás delas, mas só os melhores conseguem! As medalhas olímpicas de premiação (ouro, prata ou bronze) tem medida padronizada, deve ter, no mínimo, 60 mm de diâmetro e 3 mm de espessura. A medalha de ouro, que corresponde ao 1º lugar deve conter, obrigatoriamente, 6 g de ouro puro, no mínimo. Além disso, todos os atletas e oficiais recebem também uma medalha de participação, oferecida pelo comitê organizador local.

Jogos paraolímpicos

São competições específicas para atletas com algum tipo de deficiência, sensorial, física ou mental, com adaptações nas regras, de acordo com as necessidades especiais que os atletas apresentam. Esses jogos ocorrem no mesmo país que cedia as olimpíadas, mas tem início depois do encerramento das Olimpíadas.

Os primeiros jogos paraolímpicos ocorreram em 1960, na cidade de Roma. Esse evento reuniu 400 atletas, de 23 países diferentes, para disputar as competições. Desde então os atletas paraolímpicos vem se profissionalizando e o número de atletas vêm crescendo significativamente.

Visite o site do Comitê Paraolímpico Brasileiro

Brasileiros nas Olimpíadas

O Brasil marcou presença pela primeira vez nos jogos olímpicos em 1920, em Antuérpia, na Bélgica. As modalidades que representaram o Brasil na ocasião foram natação, remo e tiro. Os atletas viajaram de navio, mas sem nenhum luxo: tiveram que dormir no restaurante do navio, mas apenas depois que os clientes saíssem. Mesmo sem descanso e condições apropriadas, a equipe de tiro trouxe três medalhas de ouro prata e bronze nas diferentes categorias.

Saiba mais sobre a participação do Brasil nas olimpíadas no site “Brasil nas Olimpíadas”

 

Curiosidades:

O esporte paraolímpico no Brasil só começou na década de 1950, graças ao paraplégico Róbson de Almeida Sampaio, que havia retornado dos Estados Unidos. Ele fundou um clube no Rio de Janeiro, enquanto outro paraplégico, Sérgio Delgrande, fazia o mesmo em São Paulo.

Em 1959, as equipes dos dois clubes se enfrentaram em um jogo de basquete em cadeira de rodas. As associações de atletas deficientes começaram a aparecer, e o Brasil enviou uma delegação aos Jogos Paraolímpicos pela primeira vez em 1972, em Munique, Alemanha.
(fonte: Guia dos Curiosos)