Répteis

Répteis

Conhecidos no mínimo há 300 milhões de anos atrás, os répteis fazem parte de uma classe de animais bastante diversificada, com cerca de 7 mil espécies distribuídas em várias regiões. Atualmente, há répteis bem conhecidos, como por exemplo as cobras, jacarés e tartarugas.

De modo geral, suas características são marcantes e ajudam a definir bem o grupo:

• São animais de sangue frio, também chamados de ectotérmicos, ou seja, não tem a capacidade de manter a temperatura do corpo constante e precisam de uma fonte externa de calor, portanto não podem viver em locais frios, correndo o risco de ter seu sangue congelado nessas situações;

• Têm o corpo recoberto por uma pele seca e praticamente impermeável. As células mais superficiais da epiderme são ricas em queratina, fator que ajuda a proteger contra a desidratação e representa uma adaptação à vida em ambientes terrestres. A pele pode apresentar escamas, como é o caso das cobras, placas características dos jacarés e crocodilos ou carapaças como ocorre nas tartarugas e jabutis;

• Os órgãos dos sentidos são bem desenvolvidos: olfato e paladar que permitem sentir o cheiro e o gosto das coisas; os olhos possuem pálpebras e membrana nictitante, que auxiliam na proteção dessas estruturas, também têm glândulas lacrimais, importantes para manter a superfície dos olhos úmida quando estão fora da água; não possuem orelha externa, mas alguns apresentam conduto auditivo externo, sendo que na extremidade de cada conduto auditivo situa-se o tímpano, que se comunica com a orelha média e a interna, assim, já está comprovado que a maioria dos répteis é capaz de ouvir diversos sons.

Anatomia e Fisiologia

A respiração dos répteis é pulmonar: seus pulmões são mais desenvolvidos que os dos anfíbios, apresentando dobras internas que aumentam a sua capacidade respiratória, isso faz com que tenham uma quantidade suficiente de gás oxigênio, o que torna “dispensável” a respiração por meio da pele, já representando uma evolução em relação aos anfíbios.

Quanto à circulação, o coração da maioria dos répteis apresenta dois átrios e dois ventrículos parcialmente divididos. Nos ventrículos ocorrem mistura de sangue oxigenado com sangue não-oxigenado. Nos crocodilos e jacarés, os dois ventrículos estão completamente separados, mas o sangue oxigenado e o sangue não-oxigenado continuam se misturando fora do coração.

Sobre a alimentação e digestão, a maioria desses animais são carnívoros, mas há espécies herbívoras e outras onívoras. Eles possuem sistema digestório completo e o intestino grosso termina na cloaca. A excreção é feita através de dois rins achatados e tubulares, localizados dorsalmente na parte posterior do corpo.

O sistema de reprodução dos répteis foi um importante fator de adaptação desses animais ao ambiente terrestre. A fecundação é interna, ou seja, o macho introduz os espermatozoides no corpo da fêmea. A grande maioria desses animais botam ovos e por isso são chamados de ovíparos.

Organização

Os répteis são classificados basicamente em três grupos:

Quelônios

Neste grupo entram as tartarugas, os jabutis e os cágados. Têm o corpo recoberto por duas carapaças: a carapaça dorsal, na parte superior do corpo, e o plastrão, na parte inferior. As duas carapaças são soldadas uma à outra. Há aberturas apenas para a saída do pescoço, dos membros anteriores e posteriores e da cauda. As tartarugas são aquáticas e podem viver em água doce ou salgada; suas pernas têm a forma de nadadeiras, o que facilita a locomoção na água. Os jabutis são terrestres e seus dedos são grossos. Os cágados vivem em água doce e seus dedos são ligados por uma membrana que auxilia na natação. Neste grupo os animais não têm dentes e a boca apresenta um bico córneo.

Crocodilianos

Fazem parte desse grupo os crocodilos e os jacarés. Os crocodilianos têm corpo alongado e recoberto por placas córneas. Possuem quatro membros, que são usados para a locomoção terrestre e aquática. O jacaré tem a cabeça mais larga e arredondada do que a dos crocodilianos, e, quando fecha a boca, seus dentes não aparecem. Já o crocodilo tem a cabeça mais estreita e, mesmo com a boca fechada, alguns dentes são visíveis. Jacarés e crocodilos habitam regiões tropicais, geralmente às margens dos rios. No Brasil só existem jacarés, encontrados na Amazônia e no Pantanal Mato-Grossense.

Escamados

Aqui se enquadram os lagartos e as cobras, estas últimas também chamadas de serpentes. São animais com a pele recoberta por escamas e dividem-se em dois grupos menores:

Lacertílios: grupo dos lagartos, camaleões e lagartixas, possuem o corpo alongado, com a cabeça curta e unida ao corpo por um pequeno pescoço. Possuem quatro membros, sendo os anteriores mais curtos que os posteriores. Ofídios: grupo das cobras, répteis que não têm pernas. A grande maioria desses animais possuem glândulas que fabricam veneno. Uma cobra é peçonhenta quando seus dentes são capazes de inocular veneno nos animais que ataca. Os dentes têm um canal ou sulco que se comunica com as glândulas produtoras de veneno. No momento da picada, o veneno escoa por esse canal e é inoculado no corpo da presa.

Equilíbrio do meio ambiente

Os répteis são fundamentais para a cadeia alimentar das regiões que habitam, atuando tanto como predadores ou como presas. Como predadores controlam a abundância de muitos animais, como insetos, mamíferos, aves, etc., porque se alimentam deles e ao mesmo tempo servem de alimento para outras espécies, assim, principalmente ovos e filhotes de répteis são um importante recurso alimentar. A falta de consciência do ser humano faz com que muitas espécies de répteis estejam em perigo de extinção e como consequência, provocam o desequilíbrio ambiental. Como exemplo podemos citar os jacarés, que são caçados indiscriminadamente para retirar sua pele que serve para confecção de roupas e acessórios.

Dinos, os répteis mais antigos

Os dinossauros são os répteis mais antigos que se tem conhecimento. Com características bem distintas das que conhecemos nos répteis atuais, esses animais dominaram durante milhões de anos.

Conheça mais sobre os dinos em nossos especiais:

Curiosidade

Os répteis têm alguns recordes significativos, veja só: O maior lagarto do mundo é o dragão-de-Komodo, encontrado principalmente na ilha de Komodo, na Indonésia, por isso recebem esse nome. Eles podem atingir 3 metros de comprimento e pesar mais de 70 quilos.

O maior réptil do mundo é o crocodilo-de-estuários ou crocodilo de águas salgadas. Em geral, eles medem 5 metros, mas há casos de indivíduos com até 8 metros de comprimento. Eles são encontrados na Austrália e no sul da Índia.

A serpente brasileira mais venenosa é a coral-verdadeira.

A potência da mordida do crocodilo-do-Nilo pode chegar a 2 toneladas por centímetro quadro.

A maior tartaruga do mundo é a tartaruga-de-couro: um único indivíduo pode pesar mais de 700 quilos.

Dicas para o Professor

Para iniciar o estudo dos répteis você pode preparar cartazes ou slides com diversas figuras de répteis e solicitar que os alunos observem com atenção e relacionem as semelhanças e diferenças. A partir daí já é possível construir com eles as características gerais e específicas do grupo.

Fazer uma visita ao Jardim Zoológico da cidade com o objetivo de aprofundar o estudo dos répteis é uma forma bem interessante de pesquisa. Os poderão fazer um relatório da visita técnica e apresentar os resultados através de um seminário.

Aproveite também as atividades das secções Para Colorir e Passatempo de nosso site! Bom trabalho!